Esqueceu sua senha?

Não tem problema! Escreva seu CPF no campo abaixo e você receberá um e-mail.

Verifique seu e-mail!

Enviamos um e-mail para: emaildosusuario@mail.com

Ah! Não esqueça de ver sua caixa de spam!

Caso haja algum problema, ligue para 0800 643 0401

Blog do Sebrae/SC

Voltar
O empreendedorismo feminino trouxe novas oportunidades, principalmente, por causa da evolução das redes sociais.

Como as redes sociais incentivaram o empreendedorismo feminino?

PUBLICADO EM 8 de Março de 2021

Os desafios enfrentados pelas mulheres para se destacarem no mercado de trabalho são diversos. Mas o empreendedorismo feminino trouxe novas oportunidades.

E isso se confirma por meio do crescimento no número de empresas comandadas por mulheres, que foi de aproximadamente 40% em 2020.

No entanto, uma das áreas que mais se destacou foi a digital, pelas redes sociais.

Quer saber mais sobre como essas ferramentas influenciaram diretamente no empreendedorismo feminino?

Então, continue a leitura!

Dificuldades, vantagens e aspectos favorecidos pelo empreendedorismo feminino

Antes de falar das formas que as redes sociais podem contribuir com o empreendedorismo feminino, é importante ter ciência de que as mulheres enfrentam diversas dificuldades nesse aspecto.

Os problemas que mais acontecem são:

  • maior necessidade de dedicar tempo à família;
  • atividades contínuas quanto aos cuidados com o lar;
  • créditos aprovados de forma mais lenta e burocrática.

Além disso, durante momentos de crise, os desafios tendem a ser ainda maiores em relação ao ramo dos negócios.

Uma pesquisa realizada no primeiro semestre de 2020 constatou que o número de mulheres desempregadas foi 25% maior que o de homens, o que serviu como um incentivo para abrirem suas empresas.

E essa busca por oportunidades de forma autônoma proporciona diversos benefícios, os quais você confere na lista a seguir:

  • melhora nos aspectos sociais e econômicos;
  • novas chances de fortalecer a educação e ampliar os conhecimentos;
  • acesso à saúde, tanto para si quanto para suas famílias.

Quanto aos aspectos econômicos do empreendedorismo feminino, estes indicam que pode haver um aumento de aproximadamente 30% do PIB nacional, graças às chances de igualdade no trabalho.

Com isso, é possível concluir que novas oportunidades de empreender geram novas vagas de emprego.

E boa parte das empresas comandadas por mulheres, acabam dando preferência pela contratação de outras mulheres, formando uma rede de apoio contínua.

Desta forma, elas passam a contribuir de maneira positiva com o crescimento do país.

As redes sociais e o empreendedorismo feminino

É fato que a pandemia fez com que muitas pessoas passassem a investir no trabalho em home office.

E isso veio bem a calhar para as mulheres de negócios, que querem ter sua própria empresa, mas ao mesmo tempo precisam compartilhar essa rotina com suas demais atividades do lar.

Em meio aos inúmeros avanços da tecnologia, não apostar no uso da internet, faz com que se perca dinheiro e oportunidades de venda ou crescimento.

Além disso, é um espaço bastante democrático que possibilita boas chances para diferentes habilidades, como culinária, atendimentos médicos, psicológicos, fisioterapêuticos, etc.

E mulheres que possuem bons conhecimentos relacionados à moda, cosméticos e maquiagem, por exemplo, também podem ver grandes oportunidades no marketing digital.

Segundo dados do Sebrae obtidos em 2018, cerca de 53% das empresárias afirmam que o volume de vendas de suas organizações devem aumentar a curto prazo.

E elas atribuem esse benefício à oportunidade de investir no mercado digital e nas redes sociais.

E durante o ano de 2020, o Sebrae em parceria com a FGV realizou uma pesquisa em que constatou que cerca de 69% das empreendedoras já faziam vendas online ou passaram a adotar esse método durante a crise.

Com o uso das redes sociais, as mulheres conseguem estabelecer um relacionamento mais próximo de seus clientes, sendo que muitas delas têm maior domínio destas ferramentas do que o público masculino.

Além disso, outro fator que impulsiona o uso das mídias pelo público feminino é fato de que 73% delas afirmam que menos da metade dos clientes frequentará o estabelecimento físico mais de uma vez.

Isso é algo que não ocorre no mercado online, afinal, o público mais direcionado e fixo é que procura por determinados produtos ou serviços.

Desta forma, utilizar esse tipo de recurso permite que haja uma comunicação mais efetiva entre empresária e cliente, o que pode ser mais atrativo em termos de interação com o público-alvo.

Com isso, mantendo sua empresa em regime digital, ou seja, por meio das redes sociais, é possível conciliar todas as atividades domésticas, sem precisar abrir mão de sua fonte de obtenção de renda.

Desenvolvendo Empreendedoras Líderes Apaixonadas pelo Sucesso

De modo a contribuir ainda mais com o sucesso de diversas empreendedoras, o Sebrae/SC criou o programa Sebrae DELAS.

Este programa tem como intuito aumentar as chances de sucesso pelas novas ideias de negócios.

As competências, habilidades e comportamentos são priorizados, a fim de fortalecer ainda mais o empreendedorismo feminino.

Dentro do programa, as mulheres poderão ter sua cultura empreendedora fortalecida, o que possibilita direcionar todos os seus recursos para seus negócios.

Quer saber mais sobre essa grande iniciativa do Sebrae/SC? Então acesse o portal Sebrae DELAS e saiba mais sobre esse mundo em expansão!

 

Imagem: canva.com

Comentários


Ver mais comentários

Você precisa estar logado para comentar! Cadastre-se ou faça seu login!