Esqueceu sua senha?

Não tem problema! Escreva seu CPF no campo abaixo e você receberá um e-mail.

Verifique seu e-mail!

Enviamos um e-mail para: emaildosusuario@mail.com

Ah! Não esqueça de ver sua caixa de spam!

Caso haja algum problema, ligue para 0800 643 0401

Como vender para o governo

Online
Imagem do curso
Gratuito

Como vender para o governo

Vender para o governo é uma grande oportunidade de negócio para aumentar as suas vendas. Saiba como preparar a sua empresa para participar das licitações.

 

Antes de a sua empresa começar a vender para o governo, é necessário que ela passe por um processo de preparação interno, ou seja, estar com a documentação administrativa em dia, estudar sobre as leis que se aplicam aos processos licitatórios, ir em busca de editais onde a empresa tenha mais chances de atuação, ter uma boa proposta comercial, além de analisar os riscos.

 

Quem pode vender para o governo?

Todas as empresas devidamente formalizadas e que atendam aos critérios que estejam previstos no edital de licitação podem vender para o governo: profissionais liberais, empresas de grande porte, MEI, micro e pequenas empresas. A decisão de fechar negócio com o governo é realizada a partir de um processo licitatório, em que as exigências necessárias para participar é que esteja tudo em ordem com a parte administrativa da empresa e de acordo com a Lei de Licitações e Contratos Administrativos.

O que são licitações?

Chamamos de licitação o instrumento administrativo utilizado pelas entidades da administração pública quando desejam adquirir bens e serviços, realizar obras, fazer alienações e locações. As licitações têm como finalidade a seleção de proposta mais vantajosa para o governo, conforme os critérios estabelecidos no edital.

Isso possibilita igualdade de oportunidades entre aqueles que desejam contratar, também permite a melhor escolha entre os fornecedores disponíveis em termos de qualidade e precificação, evitando casos de favorecimentos.

TODO PROCESSO DE LICITAÇÃO DEVE SEGUIR ESTES SETE PRINCÍPIOS:

01) Princípio da Igualdade (Isonomia): tratamento igualitário entre todos os interessados no processo licitatório.

2) Princípio da Impessoalidade: utilizado para evitar más interpretações ao longo do processo. Por isso, todos os critérios devem estar previamente detalhados e estabelecidos.

3) Princípio da Moralidade: todo o processo deve ser compatível com as regras de moral, ética, bons costumes e legalidade administrativa.

4) Princípio da Publicidade: todos os atos da Administração Pública devem estar acessíveis aos interessados no processo licitatório, com exceção de casos que envolvam privacidade e segurança estatal.

5) Princípio da Probidade Administrativa: consiste no dever de o funcionário exercer suas funções de forma honesta, sem aproveitar-se dos poderes ou facilidades delas decorrentes em proveito pessoal ou de terceiros.

6) Princípio da Vinculação ao Instrumento Convocatório: este princípio está mencionado de forma explícita no art.  da Lei n. 8.666/93, da seguinte maneira: “A licitação não será sigilosa, sendo públicos e acessíveis ao público os atos de seu procedimento, salvo quanto ao conteúdo das propostas, até a respectiva abertura”.

7) Princípio do Julgamento Objetivo: como o nome já diz, é o julgamento realizado com base nos critérios e parâmetros previamente estipulados no edital, afastando qualquer tipo de subjetivismo no momento da análise da documentação.

As modalidades de licitação servem para que haja condições equilibradas de concorrência entre as empresas, respeitando o princípio da isonomia. Porém competir em licitações diante de empresas de médio e grande porte pode parecer um pouco injusto, pois empresas maiores possuem mais infraestrutura e recursos.

Pensando em garantir melhores condições para quem é MEI ou possui uma micro ou pequena empresa, a Lei Complementar n. 123/2006 foi criada, a fim de que o microempreendedor individual (MEI), as microempresas (ME) e as empresas de pequeno porte (EPP) façam jus a um tratamento diferenciado.

Já deu para notar que o processo licitatório é um tanto burocrático e complicado de compreender, não é mesmo? Pensando nisso, o Sebrae/SC resolveu escrever um e-book sobre como vender para o governo. Nele, você encontra todas as dicas do que precisa ser feito ao longo da licitação. Baixe agora mesmo o e-book Como vender para o governo e prepare-se para fechar ótimos negócios.

 

Para acessar este conteúdo você precisa estar logado no portalAcessar!

Avaliação

Comentários


Ver mais comentários

Você precisa estar logado para comentar! Cadastre-se ou faça seu login!