Casa e Construção

Alertas

30/04/2021

Vendas de imóveis crescem mesmo diante da pandemia

As vendas cresceram 9,8% em 2020 quando comparado a 2019

Mesmo diante de um cenário econômico turbulento em decorrência da pandemia da Covid-19 com a incerteza quanto à vacinação de todos os brasileiros - e do aumento recente de 0,75 ponto percentual da taxa básica de juros Selic, a procura por imóveis residenciais se mantém em alta.

Conforme dados divulgados pelo Valor Econômico na primeira quinzena de abril/21, o VGV (valor geral de vendas) consolidado de algumas incorporadoras do estado de São Paulo apresentado ao mercado cresceu 96,5%, para R$ 5,08 bilhões. E isso mesmo diante das medidas de restrições de circulação de pessoas para conter o alastramento da Covid-19.

Até o fechamento do estudo, em 16 de abril, 13 empresas tinham divulgado seus dados operacionais: Cury Construtora e Incorporadora, Cyrela, Direcional Engenharia, Even Construtora e Incorporadora, JHSF, Lavvi, Melnick Even, Mitre Realty, Moura Dubeux, MRV, Plano&Plano, RNI Negócios Imobiliários e Tenda.

As empresas Cury, Direcional e Plano&Plano registraram recordes trimestrais de comercialização. Já a Tenda e a Moura Dubeux tiveram o melhor primeiro trimestre de sua história na venda de imóveis.

Em contrapartida, as vendas líquidas da MRV caíram 3,2%, para R$ 1,62 bilhão. Isso ocorreu, segundo seu copresidente Rafael Menin, “porque a companhia voltou a acelerar o processo de venda garantida, em que a comercialização só é registrada quando o recebível do cliente é repassado para a Caixa Econômica Federal”. 

A fatia de operações enquadradas na modalidade venda garantida passou de 30%, no primeiro trimestre do ano passado, para 65%. Em 2019, a MRV tinha deixado de contabilizar as vendas dessa forma e retomou o processo em 2020. “Em janeiro, os repasses foram muito ruins”, diz o copresidente.

Não se trata, portanto, segundo Menin, de retração do mercado ou reflexo do aumento das restrições de circulação de pessoas. “Em março, vendemos mais do que em fevereiro, quando tínhamos comercializado mais do que em janeiro. As vendas de abril estão semelhantes às de março”, afirma o executivo da MRV. Há sete projetos da AHS, subsidiária americana do grupo, em negociação com fundos, cujas vendas somarão R$ 1,65 bilhão nos próximos meses. “A AHS dará um impulso muito grande para a companhia neste ano.”


Crescimento nos lançamentos

De janeiro a março, a MRV lançou o maior VGV da sua história para um primeiro trimestre. Os lançamentos cresceram R$ 1,71 bilhão, com expansão de 58% nesse período. A companhia apresentou produtos com estandes de vendas e fez também lançamentos virtuais.

A Tenda também registrou recordes de lançamentos, vendas brutas e vendas líquidas para um primeiro trimestre. Os lançamentos aumentaram 268,6%, para R$ 610,3 milhões,as vendas brutas cresceram 50,2%, para R$ 812,2 milhões, e as líquidas tiveram alta de 60,1%, para R$ 703,9 milhões. O preço médio por unidade teve elevação de 3%, com aumento em todas as regiões metropolitanas de atuação da companhia.

Outro estudo realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (CBIC) - o Indicadores Imobiliários Nacionais 4T 2020, publicado em 22 de fevereiro de 2021 - também confirma esse aumento no número de lançamentos no mercado imobiliário:

  • Lançamentos: 33,2% (crescimento*)

  • Vendas: 3,9% (crescimento*)

* Relação entre 4º trimestre de 2020 X 3º trimestre de 2020.


As vendas de unidades residenciais também representaram crescimento* em quase todas as regiões do Brasil:

  • Norte: 50,1%

  • Nordeste: 49,7%

  • Centro-Oeste: 9,2%

  • Sudeste: -2,2%

  • Sul: 12,9%

*Comparativo 2020 x 2019 


Já o comparativo entre unidades vendidas x lançamentos demonstra que, apenas na região Sudeste, os lançamentos (40.915) superaram as vendas (31.273) no 4º trimestre de 2020.

As vendas seguem em alta sobretudo no programa Casa Verde e Amarela, em comparação aos demais padrões de imóveis:

  • 57.968 unidades vendidas

  • 28.150 unidades vendidas nos demais padrões (48,6 %)

  • 29.818 unidades vendidas no programa Casa Verde e Amarela (51,4 %)

Os dados demonstram que, mesmo em períodos de dificuldades, o setor se mantém aquecido. Dessa forma, é importante que os empresários que atuam com a construção e a venda de imóveis se mantenham sempre bem informados sobre o que há de novidade no mercado.

Confira o relatório de inteligência “Como a construção civil está se adaptando ao cenário de pandemia” que contém dicas para você implementar no dia a dia do seu negócio.



Fontes: Vendas de imóveis crescem 49% e valor de lançamentos quase dobra. Valor Econômico. 16 de abril de 2020.  Indicadores Imobiliários Nacionais 4T 2020. CBIC. 22 de fevereiro de 2020.